× iCasei

Baixe o App do nosso casamento e busque: edufe

Baixar

Nossa História

Duas versões de como nos conhecemos

Vagamente inspirada na música "Eduardo e Mônica" do Legião Urbana

“Quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?”

Eduardo abriu os olhos, mas não quis se levantar,

ficou deitado e viu que horas eram,

enquanto o Fernando nadava

noutro canto da cidade,

como eles disseram,

Eduardo e Fernando um dia se encontraram sem querer,

 e conversaram muito mesmo pra tentar se conhecer,

o amigo Itamar foi quem disse

"- Tem uma festa legal e a gente quer se divertir“

festa estranha com gente esquisita

, - Eu não tô legal não aguento sem birita,

Fernando riu, quis saber um pouco mais sobre o rapaz do lindo cabelo preto, muito, mas muito preto mesmo que dançava como se não houvesse amanhã ...

e o Eduardo meio tímido só pensava em política

e não parava de falar,

Eduardo e Fernando não trocaram telefone,

mas decidiram se reencontrar,

Fernando pesquisou no Twitter,

um tal de Eduardo alguma coisa com X e CH (risos).

Se encontraram então no Parque da Cidade,

o Fernando de patins e o Eduardo também.

 O Eduardo achou estranho era melhor não comentar

 mas o Fernando, foi quem caiu primeiro.

Eduardo e Fernando eram tudo parecidos,

 Fernando era de Leão e o Eduardo tinha “26”.

 Eles faziam Direito e gostavam de suco de limão,

 e sabiam nada de chinês.

 Defendiam suas Bandeiras (defesa dos animais e direitos civis dos homossexuais) chupavam Hall,

 não dançavam pagode, tornaram-se prostestantes,

 namoram dois anos e as rimas se acabô.

 O Eduardo não gostava de novelas,

mas ambos admiravam suas avós.

 Falavam sobre a política no Planalto Central,

 sobre lichia e meditação.

Nos carnavais viviam o esquema,

" Cozinhar, Cinema, Clube e Pacotão".

 E tendo quase nada diferente,

 veio vindo de repente

uma vontade de se ver,

 e os dois se encontravam dia após dia

 e a vontade crescia como tinha de ser.

 Eduardo e Fernando, fizeram macarrão, fotografias, foram ao teatro, compraram artesanato e foram viajar.

Fernando explicava pro Eduardo

coisa sobre o céu, a terra, a água e o ar,

 Eles aprenderam viver, deixaram o cabelo crescer

 e decidiram que iam malhar.

Eduardo quase se formou, no mesmo mês

 que o Fernando passou no vestibular.

 “E os dois comemoraram juntos,

E também brigaram juntos, muitas vezes depois”

 (e também viajaram juntos, cozinharam juntos, pintaram a casa juntos, plantaram flores juntos, iam a igreja juntos, adotaram uma linda gatinha e dois lindos cachorrinhos juntos)

”E todo mundo diz que um completa o outro e vice e versa,

 que nem baião de dois

” Se noivaram mais ou menos há um  ano atrás,

 mais ou menos quando os cachorritos vieram.

 Batalharam grana,

Seguraram legal,

organizar casamento foi o que fizeram.

Eduardo e Fernando são apaixonados por Brasília,

 a adoram mesmo na seca do verão,

 ...  Só que nessas férias não vão viajar, porque Fernando e Eduardo,

 vão estar preparando o casamento ...

“E quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?"

 

Para saber ler a história em prosa, leia abaixo da foto:

Quer saber como continuou essa história, leia O Pedido e o Noivado

Quer saber mais sobre o dia-a-dia da organização do casamento, leia no blog do casal

 

Imagem Sobre

O Dia em que Nos Conhecemos

 

Vamos contar em prosa para ficar mais clara a história. Risos.

Fernando e Eduardo se conheceram em setembro de 2010, o Eduardo lembra o dia exato, o Fernando, não. Foi em uma das famosas festas da Lili, na edição em questão a festa foi em um flutuante a beira lago. Na varanda do flutuante com a vista do Lago, o Fernando abordou o Eduardo, “querendo saber um pouco mais sobre o boyzinho que tentava impressionar”.

O Fernando foi convidado pelo Ita e pelo Lalo para ir a festa, hoje padrinhos do casamento, o Eduardo foi com um grupo de amigas e amigos. A aproximação aconteceu mais ou menos assim ... a certa altura da festa Fernando e Eduardo se entrecruzaram no lusco fusco da pista de dança. O Fernando estava perdido, mas não pode deixar de notar aquele cara todo de preto, de cabelo preto, mas muito preto mesmo que dançava como se não houvesse amanhã, que segundo ele o encarava. O Eduardo estava dançando e segundo ele viu um cara que ele não lembra como estava vestido, que não parava de fazer anotações em seu arremedo de smartphone e que o estava encarando. Festa estranha com gente esquisita. Risos


 

Fernando, tímido, dançou ali por uns minutos esperando uma abordagem daquele cara de cabelo preto lindo, o Eduardo esperava o mesmo. Então, Fernando se cansou e aparentemente desistiu ... rumou para a varanda, sentou-se em uma poltrona qualquer e continuou a escrever sua crônica diária de sua vida privada no seu smartphone.

De repente, não mais que de repente, Fernando levanta a cabeça e olha ao longe e vê lá no fundo, Eduardo fumando na varanda. Que feio. Fernando odeia cigarro. (Hoje Eduardo não fuma mais). De imediato Fernando para a crônica e passa a admirar melhor aquele cara na luz da varanda. E passa a um diálogo mental: -Ele é Lindo! – Que cabelo! – Tenho que falar com ele, mas sou tímido, que dizer? – Já sei, com o cabelo preto desse jeito não é daqui, certeza não é daqui, deve até  ser do Chile. Vou perguntar na lata, vc não é daqui. Ai vou ter assunto.

O Eduardo fazia cara de que estava apenas interessado em seu cigarro, devia fazer parte da estratégia.

Eduardo termina o cigarro. Fernando levanta da poltrona e pensa: Força na peruca. Aproxima-se de Eduardo e Diz: - Oi. Tudo Bom? Você não é daqui, né?

Eduardo responde: - Sou, por que?

Fernando vê o chão se abrir e agora? O que falar? Como que milagrosamente uma ideia: a família, fala da família ...

Então Fernando diz: - Mas sua família com certeza não é?

Eduardo responde: - Não, é da Catalunia!

Fernando pensa : Ufa e diz: - Barcelona?

Eduardo diz calmamente: - Não catalunia é uma região da Espanha.

Fernando franze a testa com cara de nojo e diz: - EU SEI, e  Barcelona é sua principal cidade.

E pensa: Agora botei tudo a perder.

Eduardo pensa: Festa Estranha com gente esquisita 2!

Apesar da abordagem atabalhoada os dois começaram a conversar e o papo foi evoluindo ...

Nesse primeiro momento, os dois estavam um metro e meio um do outro, com o adiantar da noite a distancia foi diminuindo, os dois foram ficando mais tranquilos e mais próximos, conversaram muito sobre a política, o Eduardo contou suas histórias de DCE e que seu sobrenome era cheio de X e CH (Chíxaro) e a noite avançou, próximo ao amanhecer os rostos já estavam a menos de um palmo de distância um do outro e eles ainda conversavam muito, pois tinham muito assunto, ai veio um momento de silêncio, daqueles que as pessoas dizem que se houve os sinos mudos do verdadeiro amor e o Fernando olhou para o Eduardo no fundo dos olhos e viu um olhar que tudo arrastava, que já o havia conquistado, Machado de Assis diria olhos de Capitu, olhos de ressaca que tudo arrastam, então seguiu se o primeiro beijo. O Fernando diz que foi ele que beijou o Eduardo, o Eduardo diz que foi ele que beijou o Fernando, fato foi que os dois se beijaram. Em volta o cenário era estonteante, o Lago Paranoá e o dia amanhecendo era de perder o folêgo.

Imagem Sobre

Depois de um tempo ali, eles foram embora sem trocar telefones (ó não), mas o Fernando havia decidido que iriam se reencontrar, então o Fernando começou a juntar em sua cabeça os pedacinhos de história com a intenção de reencontrar Eduardo. A única ferramenta possível seria a internet pois nunca haviam se visto e não frequentavam os mesmos lugares. Fernando se lembrava que ele participava do DCE de uma faculdade de Direito famosa da cidade, chamava-se Eduardo algo com X e CH. Então, dále garimpagem na internet. Dai Fernando acabou achando a página do DCE, descobriu um tal de Eduardo Chíxaro, garimpou esse Eduardo Chíxaro, que só tinha Twitter ... um treco até então desconhecido para o Fernando, mas não tinha problema, de tudo se aprende nessa vida... Fernando criou um Twitter e estudou como funcionava, fez umas postagens uns dois dias, para não parecer um deseserado e entrou em contato com o Eduardo via Mensagem Direta ... e não é que recebeu resposta ... Daí decidiram se reencontrar ... o que foi um pouco difícil porque a agenda do Eduardo era mais cheia que a do Lula ... mas eles conseguiram ... e hoje estão ai na contagem regressiva para o casamento.

 

Quer saber como continuou essa história, leia O Pedido e o Noivado

Quer saber mais sobre o dia-a-dia da organização do casamento, leia no blog do casal